sábado, 24 de dezembro de 2011

NATAL!


Natal! Nasce Jesus na manjedoura,
Brilha incessante a estrela de Belém,
A mensagem de amor na vida doura,
Anjos e pastores dizem Amém!...

Natal! A esperança reluz do além.
A paz, a alegria, a fé imorredoura
Vertem do coração de quem lá vem,
Louvando a Boa Nova nascedoura...

Eis o Cristo, anunciado, que nos traz
A vida nova – à nova humanidade,
Em supremas renúncias de humildade...

- Glória a Deus nas grandes alturas, paz
Na terra e aos homens boa-vontade:
Hoje, amanhã e por toda eternidade!...

Gigio Jr (Poemas da Espiritualidade-2008)

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CRIANÇAS


Nos caminhos dos campos e cidades
Sonham em dolorosa desventura,
Entre noites e dias de procura,
Nas solidões e infelicidades...

Desprezadas na vida amarga e dura,
Sofrem agruras das desigualdades,
E nas carências das tenras idades
Anseiam mãos do bem e da candura...

Pedintes pelos rumos tortuosos,
Esperam corações afetuosos
Da caridade, cheias de esperanças...

São filhos do futuro em desguarida,
Pequeninas, infelizes na vida,
Flores do amor chamadas de Crianças...

Gigio Jr (Canções – 2008)

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

O GRITO


Um Grito que percorre e ninguém ouve...
Se houve às margens só 0 sabem de passagem;
Ao mar da liberdade a um homem coube
Medida Imperial - ampla em malandragem...

Mas... depois do Ipiranga, em carruagem,
Uma Amante entre gritos sempre houve;
Gemendo leis de Reis, sem a linhagem,
Às fúrias de ministros e de um povo!

Ririam dos destinos de uma pátria,
E a história mentiria entre as verdades
De um trono transmitido a um menino...

Sedentas de poder, qual insana águia,
Famílias disputaram as herdades,
E o Brasil só foi livre no seu hino...

Gigio Jr (Canções-2011)

domingo, 28 de agosto de 2011

PRENÚNCIO DE ARDOR


Estou a repensar... Cada instante sinto
O labirinto de meu ser num mar
Revolto. Receio te desejar
Qual louco preso pelo teu instinto...

Adentro, incoercível, o recinto
De tua alma, onde cedes teu vagar,
E em que pressinto o solto sussurrar
De teu amor a despir meu verso tinto...

Prenúncio de ardor. O meu corpo arde!
Suave é teu sorrir, teus olhos ardentes...
Um fogo fugaz freme o firmamento!

Sedento refugio até os ventos...
Carvalho vigoroso sou carente,
Sândalo tu és... perfumando as tardes!

Gigio Jr (Canções-2008)

sábado, 20 de agosto de 2011

A TARDE VAGA...


A tarde vaga triste pela vida
Vária, por onde cantas tua dor.
Vaga... sonhando ser a despedida
Da luz do sol do nosso ardente amor...

A noite desce fresca e destemida,
Invade meu sonhar com teu olor
De rosas em botões, amanhecidas,
Assediadas por um beija-flor...

Invade... com canções apaixonadas,
Com astros de céus cheios d’esplendor;
E luas que nos lembram solidões...

A tarde cai e as noites esperadas,
Seduzem nossos corpos num ardor,
Nas horas em que se amam corações...

Gigio Jr (Canções – 2008)

DOS SEMBLANTES DA LUA


Dos semblantes da lua os nossos risos,
Entre as boêmias noites, acolheram
As estrelas dos versos, que acenderam
As danças desenhando os leves pisos.

Os nus destinos livres dos avisos,
As madrugadas frescas germinaram.
E, os beijos nas sarjetas palpitaram
As almas que se afloram de improvisos.

Minhas lágrimas prismam os teus sonhos,
Tuas chuvas mareiam meus pecados.
Tantas partidas... Portos tão tristonhos!

E, às luzes de teu olhar, as poesias
Segredaram as mãos, sinas e dados,
Jogando com mistério os nossos dias...

Gigio Jr (Canções-2008)

NOSSO AMOR


Manhã nos teus carinhos e os segredos,
Em nossas confidências, se abraçaram.
O sol vem das montanhas que teimaram
A nossa permanência nos rochedos...

Caminhos entre os verdes arvoredos.
Entranhas das florestas desenharam
O ramo, o fruto, a flor; e desejaram
Levar de tuas lágrimas os medos...

O rio beijou teus pés de princesa,
A terra regalou-se em formosura;
E a fonte chilreou teu céu-turquesa...

O nosso amor, ardendo em cantorias,
Ecoou pelas matas, sem mesura;
E as aves gorjearam alegrias...

Gigio Jr (Canções – 2008)

JARDINEIRO TRISTE


Colho as flores dos jardins, e os seus passarinhos
Do alto das mangueiras cantam o adeus das rimas.
E eu, um jardineiro de teus aromas, sinto
No peito um bater d’alma, triste e solitário...

Passo, devagar, entre árduos descaminhos,
Ao céu, ao mar, ao luar que então vitimas;
Enquanto a noite resguarda a hora do absinto,
Como um suicida que sangra voluntário...

Colho as dores tecidas nos meus maus destinos,
E nas andanças pelos rumos das florestas,
Onde ouvi os rios em preces de desesperos...

Pássaros revoaram sob os desatinos,
Não querem gorjear ...nem fazer suas festas,
Emigraram dos meus ais, dos meus exasperos...

Gigio Jr (Canções – 2008)

domingo, 14 de agosto de 2011

CORAÇÃO DE PAI


No coração de um pai há diamantes
Que se extraem pra enriquecer a vida;
Vida de suor, de luta, de lida
E que sacrifícios lhe impõe, constantes...

Pulsam ideais, sonhos que dedica
Ao alcance de sucessos que, gigantes,
Enobrecem caminhos resultantes
Do amor que eleva, ensina e pacifica...

No coração de um pai há mensageiros
Que, no querido lar, são seareiros
D’esperança, arrimo e felicidade...

Deus fez do coração do pai no mundo
Celeiro de um sentimento profundo:
Sublime amigo - cheio de bondade!...

Gigio Jr (Canções – 2009)

domingo, 7 de agosto de 2011

ESSÊNCIAS


Essências
Da eternidade

Raios do teu amor
Luzem meus olhos

E avulto desejos
No percurso livre
De suaves descobertas

Em minhas montanhas
Demandam-se
Teus círios

Vagam os mistérios
De cada anseio

Quando a manhã
Vem em lençóis
De abraços...

Gigio Jr (Alvoradas-2010)

DESLUMBRAR


Nenhum pensamento
Só o deslumbrar

Manhã de Esperança
Assim...

Vivem os Anjos
O Alvorecer

Sem
Nenhum anoitecer

Sem fim
O Sol sempre nascente
Sorri contente

Para ser sempre uma canção...

Gigio Jr (Alvoradas-2010)

CREPÚSCULO


Crepúsculo

Volto ao corpo

Viagens pelos sonhos das manhãs
E esperanças são renascidas

As mãos tateiam tuas formas

E aromas
De desejos realizados
Inundam nossos campos

Olhamo-nos

Mas o crepúsculo
Doura o nosso quarto...

Gigio Jr (Alvoradas-2010)

ALTAR


À Amélia Rodrigues

Ah... Altar da natureza - céu cor de anil,
Terra auriverde onde as flores, enternecidas,
Penetram as nossas almas, prenhes de vidas,
Com formas, aromas, tonalidades mil.

Ah... O tamborilar da chuva no telheiro,
Gorjeio dos pássaros que encanta e consola,
Melodia dos ventos que nos ares rola,
Nos ramos e folhagens do lindo salgueiro.

Quantas milenares mãos te aram e semeiam...
Buscam-te pelo lar, pelo pão, pela paz.
Não colhem somente canções, mas agasalhos.

O Sol te ilumina e os rios te margeiam...
Fertilizam a vida, que o fruto nos traz,
Entre vales e serras, caminhos e atalhos.

Gigio Jr (Canções – 2008)

AMOR REVOLTO


Curvam-se, ante o poente, os meus anseios tortos.
Brotam das ondas como espumas vacilantes;
Extasiam nas areias das paixões errantes,
Que deslizam das mãos de poetas absortos...

É noite das estrelas nos jogos de amantes.
Assanham-se as marés, requebram-se nos portos
Da solidão que me invade, como aos mortos,
Enquanto os sonhos ficam assaz delirantes...

Há luz na noite depois de orgasmos pujantes,
Que banham os poemas de um amor revolto,
Que navega em delírio num idioma louco...

E os universos das rimas despem meu corpo,
Entre desejos de seduções que, incessantes,
Aprisionam-me em tuas carícias fragrantes...

Gigio Jr (Novos Poemas – 2008)

sábado, 6 de agosto de 2011

VEIO O DIA


Veio o dia
Em minha alma cheia de espadas
Ouvi estrelas
Ah! Saudade do luar...

Em meus olhos cheios de horizontes
Senti o tempo
Ah! Silêncio e cantar...

Além a esperança
Vai explodir estes sinais da comunhão
Em passos sobre novas chamas
Ah! Mistério de amar...

Gigio Jr (Poemas da Juventude-1979)

CANÇÃO DO TEU AMOR


Ó Amor
Ouço os teus gemidos
Aos risos cheios de quereres mais

Perpasso por teus Sóis
Invado o teu céu de amor
Em infinitos ais

Acompanham as tuas canções
As cigarras madrigais

Uma manhã resplandece
Acordo nas dunas
Dos teus apetecíveis
Seios

Sangrando de paixão num mar
De devaneios
Brilhando a cor rósea
Do teu
Luar

Ilumina-se o teu olhar
Enquanto eu semeio
Os teus beijos
No meu corpo
Que vive em recreio
Escarlate mente
A te delirar...

Ensaio
Desmaio
No teu poema
Atraio
Saio
Caio

Amor febril
Sem til
Sem fim
Relicário

Feliz de mim
Que conheço os detalhes
Que ardo em desejo
Nos teus interiores
Nos teus meios
Nos teus furores
Fatais segredos
Quebra-cabeça
De teus retalhos...

E nas madrugadas
Pétalas de flores
De teus anseios
Explodem das estrelas
De teus orgasmos
De mulher ferina
Atrevida
Destemida
Poderosa

Molham os corredores
De minhas linhas
Por onde eu
Percorro tuas ilhas
Revelando ardências
carinhos
carícias
e espasmos

E nesta paixão dou adeus a solidão...

Gigio Jr (Poemas da Juventude – 1985)

quarta-feira, 27 de julho de 2011

VENCIDO AMANTE


Procuro-te nas ruas devassadas,
onde os passos teus venceram as trilhas.
Percorro escadarias profanadas,
ladeiras vigiadas por quadrilhas...

A cada esquina escura ultrapassada
reaprendo a rezar tuas cartilhas;
e vejo, penso e sinto a madrugada
me afastando de tuas maravilhas...

Oh noite, que me oculta a rara estrela,
não me afaste o desejo de retê-la,
à luz da lua linda e nossa amiga...

Pois te procuro, cúmplice da errante
vida, que fez de mim vencido amante,
amado em vão por uma rapariga!...

Gigio Jr (Canções – 2008)

sábado, 23 de julho de 2011

DESPERTAR


Desperto na manhã, entre neblinas,
Com olhos que trespassam pelos cômodos.
E, a memória de um sonho, alegre e vívido,
Impregna minha alma de esperança...

Percorro a natureza dos instantes,
Ouço aves que gorjeiam suas vidas;
E a voz, que me roufenha na janela,
Ao olhar do céu, boqueja e silencia...

Desperto e no meu corpo só vestígios
Dos passos de antigos caminheiros:
Encontro de cansaços com as horas...

Por onde o meu retrato rompe espelhos,
Branqueiam-se os fios de meus cabelos,
Segredam-se as auroras nos meus lábios...

Gigio Jr (Canções – 2008)

SAUDADE


O meu peito deságua em saudade,
Saudade que me banha à emoção...
Como se presa da infelicidade,
Como se (...) de fatal desilusão...

E após a dor do adeus, e após o sonho;
Só resta o amor, no ardor lânguido que tenho!
E retenho a sina, e a sina então proponho
No amor, no sonho, na dor que detenho...

Minh’alma chora, minh’alma conclama
Ruas sem rimas, desrimadas luas...
À saudade que a lágrima cisma.

Mas meu ser é uma chama, é uma chama
Em noites de luar, que enrimam nuas
Fagulhas do teu céu ...que a vida prisma!...

Gigio Jr (Canções – 2008)

NOBRES POETISAS


Leio os versos ardentes e precisos
De nobres poetisas inspiradas;
Que nas canções de amor, apaixonadas,
Reacendem os meus tristes sorrisos...

Cantam saudades, lágrimas e risos;
Paixões enlouquecidas e embriagadas,
Sonhos secretos onde as madrugadas
Espiam curiosas por entre os frisos...

Então minh’alma prenhe de utopias,
Nas noites que segredam fantasias,
Orvalha-se em desejo e sedução...

E dessas musas colho as poesias...:
Campos de amor, carinho, coração;
Céu, mar, chuva, sol, lua, flor, paixão...

Gigio Jr (Canções – 2008)

terça-feira, 5 de julho de 2011

OITO HAIKAIS (Ensaios III)



1.
Quantos anos têm
A alma viajando zen
Entre a terra e o além?

2.
Quantos sonhos vêm
Na vida do poeta sem
Amor de ninguém?

3.
Quantas vidas vão
Depois que no coração
Nasce a solidão?

4.
Quantos sinos batem
Das razões que se debatem
Em paixões que me ardem?

5.
- Tenho bilhões de anos
Entre os mortos e os humanos
Cheios de desenganos!

6.
- Muitos sonhos sonho
Feliz ou mesmo tristonho
Do amor que suponho!

7.
- Sempre há despedidas
Quando sangram as feridas
Já amanhecidas!

8.
- Nossos sinos dobram
Enquanto os sonhos desdobram
Nos versos que sobram!

Gigio Jr (Canções – 2007)

LAGOA/MAR



Ao Carlos Drummond de Andrade

Lagoa

Eu não vi o mar.
Não sei se o mar é bonito,
não sei se ele é bravo.
O mar não me importa.

Eu via a lagoa.
A lagoa, sim.
A lagoa é grande
e calma também.

Na chuva das cores
da tarde que explode
a lagoa brilha
a lagoa se pinta
de todas as cores.
Eu não vi o mar.
Eu vi a lagoa...

(Carlos Drummond de Andrade)

Mar

Drummond:
Eu não vi a lagoa.
Não sei se a lagoa é bonita,
Não sei se ela é calma,
Mas a lagoa me importa.

Eu via o mar.
O mar, sim.
O mar é grande
E bravo também.

No sol das cores
Da manhã que explode
O mar brilha
O mar se pinta
De todas as cores.
Eu não vi a lagoa,
Drummond:
Eu vi o mar!...

Gigio Jr – (Cañções-2008)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

POEMA DA RUA


Que coisa era aquela
Tão linda
Do tamanho da Cidade?
Que altura
Que cabelos
Que seios
Que minissaia

Uma loucura
O olhar
Os lábios
Os cílios
As pernas
Os pés
As sandálias

Uma delícia
De mulher
De mãos
De boca
De testa...
E que testa!

Quase sorria
Quase queria
Quase dizia
Quase vestia
Quase!
E me seduzia!

Mas ela passou
Por mim
Passou...
Deixou o
Hálito da paixão
O perfume do corpo
O encantamento
Da silhueta seminua
O rebolado do morro!

Um desprendimento...

Então pensei
Este poema da rua!

Gigio Jr (Canções – 2008)

FLORES



Lírio da Paz,
Porta voz do meu dilema,
Mana a luz, a vida, o Sol;
O jardim, o dia, o arrebol...
Afasta os maus e as magias:
Nosso amor só começou...

Rosa dos Tempos,
Dos ventos e da misericórdia,
Flora a paixão e a concórdia...
Do encontro ardente ao poema:
Ciúme, fogo e fantasia,
Onde o amor se aventurou...

Margarida da Vida,
De sonho e felicidade,
O rumo da humanidade
Nega a singeleza plena
Do bem e do mal me quer,
Mas o amor não terminou...

Crisântemo do Campo,
Manto, beleza e doçura;
Revela-nos a oculta senha
Para as terras da ternura:
Nascer, crescer e morrer
Onde o amor se eternizou...

Orquídea Querida,
Em tua real juventude,
Que todo homem retenha
Sabedoria e virtude,
Ante a espiritualidade
Que o teu amor perfumou...

Anêmona solitária,
Quanta dor - quanto abandono?
Quem te quer e quem te tenha
Triste fica e enfadonho,
Sem alegria e mocidade
Onde o amor fracassou...

Dália das Ilusões,
Tantas cores, quanta luz...
Nos bosques que te assanham
Moram fadas de capuz:
Ficas livre sempre enfim
Para o amor que te buscou...

Papoula Silvestre
Vem comigo nesta aurora,
Mostras que a vida está prenhe,
Deus está presente agora,
Onde persista um jardim do
Grande Amor que nos Criou...

Flores Perfumadas,
Por vocês escrevo poemas:
Begonias, Jacintos, Jasmins,
Acacias, Iris, Açucenas,
Azaléias e Alecrins
Onde o amor se derramou...

Verão ou Outono.
Ah Camélias e Petunias,
Violetas e Madressilvas,
Girassóis e Tulipas,
Hortensias e Magnolias:
Quanto amor Deus perfumou...

Inverno ou Primavera.
Bromélias e Flor de Lis,
Cravos e Amor perfeito,
Entre as Gérberas e a Anis,
Callas e Copos de Leite,
Entre as Anturios e Peonias
Meu Jardim que o Amor florou...

Gigio Jr (Poemas da Chuva - 2002)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...